E3xplicação

Olá humanos! Quanto tempo, não?

Adivinhem qual a notícia, além de perder toda a cobertura da E3, como antes prometido ser?

ESTAMOS DE VOLTA!!!! Não, não é essa. "Cobrimos a E3 e fingimos que a mesma começará SEMANA QUE VEM, da mesma forma que a Globo finge estar transmitindo o UFC?" Não, por mais tentador e trabalhoso que pareça, não é isso.

Então, humanos colegas de compartilhamento de informação, venho por meio deste post, dar explicações sobre a ausência de vosso autor dentro desse período. Bom, antes de qualquer coisa, tempo. Pois bem, caros humanos, o velho Bitmaster parou de viver de conceitos video eletrônicos interativos à imaginação humana e arranjou um bico de garçom no bar do seu Zé, perto lá do açougue do Ribas.

Outro, é a ausência de interesse tanto por parte do público, quanto dos nomeados "colaboradores" do site. Entendo que colaborar só por colaborar é uma coisa sem qualquer nexo, e colaborar com uma colabora$$ão é muito mais motivador. Estamos ainda a procura de nosso público, e nossos planos maléficos para a aceitação do mesmo vai até uma sonda responsável pela mudança de comportamento humano.

Porém, Bitmaster logo explica que o projeto Bitoid não há de acabar nem por uma caral*$# voadora dourada de R$8.000,00 voando pelos
céus de Brasília. Desde o começo do site, a curiosidade e o apreço deste autor pelo universo gamer só aumenta. É por este motivo que um
dos objetivos desta criatura bítica é, um dia, deixar de ser garçom no bar do seu Zé, perto lá do açougue do Ribas, e voltar a ser um jornalista
de games, como o jovem padawan sem aprendizado se nomeava.

Enfim, o intuito deste texto é apenas divulgar essa imagem épica aqui.

AH, BTW, esses são os jogos MAIS ESPERADOS POR NÓS APÓS ESSA E3 :


Watch Dogs



The Last of Us



Assassin's Creed III

(momento em que o editor já junta todos esses jogos no cabeçalho do post).

Fim do Primeiro Ato.

Prévia: Black Ops II

Após muito chilique e segredo, o novo Call of Duty do ano foi anunciado, e nada mais é do que a sequência do game que bateu caralhadas de recordes de venda: Black Ops 2. Então a Treyarch se pronunciou a respeito do game, e disse que não quer fazer somente uma sequência do jogo, e sim ultrapassar os limites. Nada mais justo do que adiantar um pouco a história para 2025 e ver que m$rda rola.

A maior hesitação por parte dos players e da imprensa em Black Ops 2 se dá na mudança drástica na narrativa do jogo, que foi mudada de um enredo dos anos 80, durante a Guerra Fria, crível e com referências históricas (nem que seja propriamente apenas pelo fato de ser na Guerra Fria) para um futuro próximo e fictício. Eu, Bitmaster, creio que esta preocupação se esvaiu (ou pelo menos parte dela) quando o diretor do game pediu uma ajudinha de David Goyer -nada mais nada menos do que o roteirista de Batman Begins, Batman: Dark Night e o próximo filme do Superman (Man of Steel)- com a história, 18 meses atrás. 

A Treyarch também se pronunciou acerca da credibilidade da história do jogo, e nos deu um parecer de que a mesma, sim, faria sentido. Peter Singer, autor de "Wired for War", também deu uma ajudinha de como as guerras futuras seriam. Os robôs farão (sim, maluco, FARÃO. Os robôs vão emergir e você tem de estar preparado) uma grande diferença na guerra; os motivos da mesma guerra se dariam pelos conflitos e tensões globais.

Metais raros. Isso mermo, a parada tá começando a ficar meio estranha, mas ramo lá. Estes metais aí são usados como elementos-chave às novas tecnologias do dia-a-dia, como tablets, celulares, computadores, turbinas de ar, bateria híbrida para carros e muita m&!@#¨% aê. Também há uma implementação nos mecanismos de guerra como tecnologia para espionagem, e umas aeronave muito doida, os drones. Estas aeronave muito doida vão ser muito importantes na guerra futura, e mudarão bastante como os armamentos vão funcionar.


Ao contrário do que muita gente pensava, Frank Woods (relaxa, pode googlear mesmo se você não lembrar... papai bitmaster deixa) ainda está vivo, e parte da narrativa vai se dar pela visão desse maluco. Alex Mason, o protagonista do primeiro jogo da série, também está de volta, e parte da narrativa se dará por parte dele. David Mason, filho de Alex, também aparece na narrativa como personagem jogável.

Esta guerra fria DUFUTURO ocorre quando Raul Menendez, o vilão da vez, cria o primeiro equipamento ameaçador e começa a ameaçar os militares de invadir sua infraestrutura, hackeando os drones, mísseis, robôs e outros equipamentos militares controlados digitalmente. Com essa invasão, o maluco consegue mandar os 'drones' para as principais cidades dos Estados Unidos - incluindo Los Angeles, aonde o presidente e o filho de Alex Mason, David Mason, se encontram.

Nós, membros BÍTICOS deste site, somos discriminados por sermos de outro planeta, e não obtivemos a versão DEMO do game, por isso não podemos entrar muito em detalhes sobre os detalhes do mesmo. Mas vamos lá, com apenas algumas coisinhas que conseguimos pescar da interwebs.


Algumas missões dentro de Black Ops II terão um estilo sandbox, aonde os players podem concluir seus objetivos da maneira que bem entenderem - assim como usar as armas, métodos, e tropas que lhes são dispostos. Estas são chamadas Strike Force. Se o jogador quiser ver o level antes mesmo de completar as missões, há esta possibilidade; assim como o jogador que prefere jogar da maneira normal dos Call of Duty's anteriores. Porém, o resultado das missões podem alterar a geopolítica do jogo -um exemplo: o presidente dos Estados Unidos pode ser um chimpanzé. Ou seja, você poderá falhar em suas missões e mesmo assim a história vai continuar.

Dan Bunting, diretor de 'Online' (?) do jogo, já mostrou gráficos muito interessantes e bonitos em Black Ops II. Os sistemas e os processos de 'pipelines' foram refinados, e os gráficos do game se parecem fotorealistas. Uma nova engine de 'iluminação' também foi mostrada por Dan Bunting, e a mesma permitirá um visual muito natural, iluminando áreas escuras equilibradamente, e luzes passando janelas e portas, dando um visual extremamente real aos cenários. Outros aspectos visuais do jogo também foram refinados, como texturas em alta resolução que tornam as superfícies mais detalhadas, como areia que se dispersa enquanto estamos andando. Também há a presença de técnicas HDR, como no reflexo do sol ao lado de uma arma, e na água, fazendo a mesma parecer quentinha e gostosa de se nadar. Igualzinho o piscinão de Ramos.

Clico, amplio, ganho 2 trilhao de doleto
O game terá também a presença de zumbis, como anunciado na página oficial do Call of Duty no twitter, e com esta imagem que você vê ai em cima.

Quanto ao multiplayer, negada, a Treyarch não tem muito a nos informar... Mas o diretor de design David Vonderhaar decidiu provocar um pouquinho. O multiplayer de Black Ops II será habitado também em 2025. A empresa está ainda desenvolvendo a ideia de como a tecnologia futura se aplicará nãos só às armas, aos attachments e killstreaks, mas também aos robôs e drones. Ele diz o que já podemos imaginar, que essa nova tecnologia abre muitas oportunidades para ideias criativas. Por último, Vonderhaar nos diz que fazer Black Ops II aproveitável para os jogadores assistirem é muito importante.

Então Black Ops II promete ser um jogo com inovações importantes pelo menos à linha narrativa, com mudanças que os próprios players poderão fazer na mesma. Também promete melhorias nos aspectos gráficos, tornando o ambiente futurista também realista. Mesmo com tudo isso, a coisa que eu mais espero é um chimpanzé vestindo terno, fumando um charuto cubano e gerindo os Estados Unidos da América.

Imagens de Tekken X Street Fighter mostram que personagens estão TÃO GORDOS QUANTO EU E VOCÊ JUNTOS




Então, povo, até os personagens dos video-games foram atingidos pelo MAGNÍFICO sabor dos fast-foods e comidas congeladas. No site Tekken Nation apareceram slgumass imagens da suposta produção dos personagens de Tekken X Street Fighter (não se engane, é TEKKEN -PRIMEIRO- versus Street Fighter, com movimentos e cenários explorados na plataforma 3D -o famoso passinho para o lado). 

Estas imagens poderiam ter sido divulgadas no twitter do produtor da série Michael Murray. Podemos ver nas mesmas, um personagem com o corpo parecido com o de Ganryu vestido com as roupas de Ken e Ryu, e um Heihachi (essa posição é dele, CTZ) com a roupa do supremo e mais f@&*¨personagem de todos, Akuma.

Lembrando que este game sairá para PS3 e éx bóq trezen sessen. Veja as imagens

"CHEESEBURGUER!!!"

Valve corta-tesão. Sem Half Life 3 na E3 deste ano


Tu já ouviu o termo cockblock? Na tradução literal seria algo como bloqueia-pir#ca, ou o famigerado corta-tesão. Então, humanos... é exatamente isto que a Valve fez com os FÃOS da série.

O membro da Valve, Doug Lombardi, em uma entrevista para o site Joystiq, disse que "a empresa não tem planos para fazer nenhum anúncio de produto na E3 deste ano". Claro que a rapeize da Valve pode estar preparando vários anúncios para explodir a cabeça de seus consumidores e da mídia, mas até lá isso tudo é...

Teoooooria daaa conspiração.

Conto Gamer: [Skyrim] O Troll das Neves



"O que ocorreu no cume da montanha direi a vocês mais a frente. Hoje vos direi como foi minha primeira vista de um dos mais temidos monstros das montanhas. O Troll das Neves. 

A armadura prateada já não me era mais útil. Convidava o frio e o abraçava fortemente, fazendo meu corpo inteiro tremer. Ao caminho de saída da montanha gélida, em relance, vejo um vulto branco com manchas pretas em seu rosto - parece se esconder por trás de uma árvore. Ao me aproximar, o tronco da árvore e os galhos da mesma parecem ganhar vida. Tremem com força, apenas após ver o vulto novamente, agora um pouco mais longe, vejo que a força do mesmo fez a árvore tremer. Por que algo tão forte -imagino- fugiria de uma criatura inferior? Teorias desde o reflexo do sol em minha armadura até o meu modo de andar percorreram minha psique, porém havia um caminho a ser seguido. Queixo em riste -como um verdadeiro guerreiro nórdico deve se portar- e continuei em frente.  

As rochas que formavam o caminho de escadas até o topo pareciam ser mais escorregadias do que o normal, e o frio era insuportável. Decidi me dar um descanso para que o sol alcançasse o topo do meio-dia e aumentasse um pouco a temperatura. Optei por uma cavidade dentro de uma rocha enorme, que era presa por outras da mesma forma ao lado, e parecia minimamente confortável, porém segura. Ao passar o outro lado da montanha, e atingir seu cume, o sol já refletia na neve, e seus raios, fugazes como lança hélica, me queimavam os olhos. Era um sinal que já ficara tempo demais à montanha, e o caminho a seus pés, tomava o rumo final. 

Quando, já no horizonte, começo a ver a mudança da tonalidade esbranquiçada e cinzenta a um verde amarelado -pelo visto, pela seca-, outras árvores começam a tremer, agora sequencialmente, até uma moita de folhas -totalmente cobertas pela neve- também tremer, como se a mesma estivesse com tanto frio quanto eu. Por duvida pus em mãos minha maça, e brandei meu escudo à outra mão. O vulto saiu de dentro da moita correndo para um amontoado de rochas, aonde alguns ossos se dispunham de uma forma bizarra, aparentando um grande massacre de pequenos animais ali. Com um grito alcancei a tal criatura, e a foquei à face.

As manchas negras no vulto eram olhos. Três. Dois normais, como humanos, e um à testa, parecendo ser mais ágil do que os outros. Era um Troll, mas não um qualquer... sua pelugem era totalmente branca, e as garras pareciam mais afiadas e fortes. Me jogaram a três metros com tremenda facilidade. Meu escudo voou para longe com o impacto, apenas me deixando com a maça em mãos. Corri em direção ao Troll, e o mesmo me jogou com ainda mais força, e dessa vez veio em minha direção, berrando e arrastando os braços no chão, fazendo o temor se apossar de mim.

Bati com a maça em seu braço, sem efeito. O monstro me ergueu, e jogou-me a mais quatro metros. Desloquei um dos meus dedos ao tentar me apoiar no chão; esforço vão, cai, e a criatura ainda socou minhas costas, fazendo com que a dificuldade que eu já tinha para respirar de tanto frio aumentasse infinitas vezes por algo que parecia prender minhas vias. Lembrei-me da alma do dragão, e, enquanto me perguntava se seria assim o meu fim, um calor se apossava de minha alma. Minha respiração voltou ao normal, e em um berro raivoso "FUS!", joguei a criatura a três metros de mim. Distância e tempo o bastante para me levantar, bradar a maça, e me prontar para combate. 

Percebi que a criatura sempre pegava algo do chão branco quando iria correr em minha direção. Sem planejar, improvisei. Joguei a maça no que parecia ser a junta de suas pernas, fazendo-o cair. Subi nas pedras, à lateral do local em que estávamos e tentei empurrar com as duas pernas uma rocha para finalizar aquela criatura. A força que eu dispunha em meu corpo era impossível, e o único artefato que poderia me ajudar como alavanca estava fincado nas juntas do Troll. Por uma inacreditável coincidência, ou até escolha divina de quem escreve minha história, o escudo estava ao meu lado, pronto para ser utilizado. O fiz como alavanca, fazendo a rocha rolar para cima do Troll. 

O terceiro olho do monstro saltara com o impacto Resolvi regalar-me com esta iguaria peculiar das montanhas enevoadas. Havia, porém, perdido meu escudo com o mesmo impacto. Só minha maça, eterna companheira, ainda estava em minhas mãos. Sai da montanha, e o entardecer banhava minha armadura com o merecido calor de uma vitória.

O verde se abrigava em meus olhos. Abaixei-me, tateei a grama, e senti a única mudança de cor na locação. Era um vinho escuro, de textura viscosa, e o cheiro se misturava com o de meu elmo. 

Sangue."